Cristianismo Ortodoxo

Cristianismo Ortodoxo

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Contra a Supremacia Papal


Linguagem rebuscada era utilizada pelos Padres para descrever outros Apóstolos além de Pedro:


"No reino dos céus ninguém ficará na frente de Paulo".
~ São João Crisóstomo,  sobre São Mateus, 65º Homilia [Século IV]

"Como louvarei o servo e o irmão de Cristo, o capitão-chefe da Nova Jerusalém, o chefe dos sacerdotes, o exarca dos Apóstolos, o corypheus entre as cabeças, aquele que supera as luzes em esplendor, que é superior entre as estrelas."
~Hesíquio de Alexandria, In Jacobem Fratrem Domini

Alguns Padres interpretaram Mateus 16 referindo-se ao episcopado como a rocha:

"Mas você diz que a Igreja é fundada em Pedro, embora o mesmo seja feito em outro lugar sobre todos os Apóstolos, e todos recebem o reino dos céus, e a solidez da Igreja é estabelecida igualmente sobre todos, no entanto, um é escolhido mediante a nomeação de uma cabeça para que em ocasião de dissenso seja resolvido".
~ São Jerônimo, Contra Joviniano, Livro I [Século IV]

"E este número de côvados concorda com os santos Apóstolos, que são as bases e o fundamento da Igreja, pois Ele diz: 'Tu és Pedro e, nesta rocha, construirei a minha Igreja'".
~ São Theodoreto, Comentário aos Profetas: Ezekiel (Vol.2) [Século V]


A grande maioria dos Padres seguiram a interpretação de que Mateus 16 refere-se à confissão de fé de Pedro; aqui apenas um fragmento:

"Tendo dito a Pedro: "Bem-aventurado és Tu, Simão Bar-Jonas", e tendo prometido estabelecer os fundamentos da Igreja em sua confissão, não muito tempo depois ele diz: "Afasta-te de mim, Satanás", e novamente , uma vez que ele havia dito Filho de Deus para apontar que Ele era filho de Deus, como o outro filho de Jonas, da mesma substância Daquele que O gerou,  acrescentou: "E eu te digo: Tu és Pedro, e sobre esta Rocha edificarei a minha Igreja"; isto é, sobre a Rocha de sua confissão".
~ São João Crisóstomo,  Homilia I sobre Gálatas, [Século IV]

"Assim, nosso único fundamento imutável, nossa única e afortunada rocha de fé, é a confissão da boca de Pedro, Tu és o Filho de Deus vivo.  Com isso podemos basear uma resposta para todas as objeções que de forma perversa e traiçoeira podem atacar a verdade."
~São Hilário, Sobre a Trindade, Livro II, [Século IV]

"A fé é o fundamento da Igreja, pois não era a pessoa, mas da fé de São Pedro, que foi dito que as portas do inferno não irão prevalecer; é a confissão de fé que derrotou o inferno. Jesus Cristo é a Pedra. Ele não negou a graça de Seu nome quando ele o chamou de Pedro, porque tomou emprestado da pedra a constância e a solidez de sua fé. Esforce-se, então, para ser uma pedra - a sua pedra é a sua fé e a fé é o fundamento da Igreja. Se tu és uma pedra, tu estarás na Igreja, porque a Igreja é edificada sobre a pedra."
~São Ambrósio, Sobre o Sacramento da Encarnação de Nosso Senhor, Cap. 5, XXXIV [Século IV]

"Portanto, o Senhor deu aos Apóstolos o que anteriormente fazia parte de Sua própria autoridade. Ouve-o dizendo que dará as chaves do Reino dos Céus, tudo o que estiver ligado na terra será ligado no Céu e tudo o aquilo que desligar na terra será desligado do céu. Para ti, Ele diz que lhe dará as chaves do reino dos céus, para que possas ligar e desligar... O que Ele diz a Pedro, Ele diz aos Apóstolos".
~São Ambrósio, Enerratio in Psalm XXXVIII, XIV [Século IV]

"Pois, no que diz respeito à sua personalidade, ele era, por natureza, um homem, pela graça, um cristão, pela graça ainda mais abundante, e ainda assim, o primeiro apóstolo; mas, quando lhe foi dito, eu darei a você as chaves do reino dos céus, e tudo o que você ligar na terra, será ligado no céu, e tudo o que desligar na terra, será desligado no céu, ele representava a Igreja universal, que neste mundo é abalada por várias tentações, que a atinge como torrentes de chuva, inundações e tempestades, e não cai, porque está fundada em uma pedra (petra), da qual Pedro recebeu seu nome. Pois Petra (pedra) não é derivado de Pedro, mas Pedro de Petra; assim como Cristo não é chamado de Cristão, mas o Cristão vem de Cristo. Por esta mesma explicação, o Senhor disse: "Sobre esta pedra, eu construirei minha Igreja, porque Pedro havia dito: Você é o Cristo, o Filho de O Deus vivo. (Mateus 16: 16-19) Sobre esta pedra, portanto, Ele disse, que você confessou, Eu construirei minha Igreja. Pois a Pedra (Petra) era Cristo; 1 Coríntios 10: 4 e, nesse fundamento, o próprio Pedro também construiu. Pois ninguém pode estabelecer outro fundamento além daquele que esta estabelecido, que é Cristo Jesus. (1 Coríntios 3:11)."
~São Agostinho, Tractate CXXIV sobre o Evangelho de João, V [Século IV]

"Para a remissão dos pecados, para a vida eterna, para a santificação das almas e dos corpos, para conceber os frutos das boas obras, para o estabelecimento de Sua Santa Igreja Católica, que Tu fundaste sobre a Pedra da Fé, que as portas do inferno não prevalecerão; libertando de todas as heresias e escândalos, e daqueles que praticam a iniquidade, preservando-a até a plenitude do tempo."
~Cânone 33 da Divina Liturgia de São Tiago [Tradição que data ao primeiro século]

"Concede, imploramos a Ti, Deus Todo-Poderoso, que nós, a quem Tu estabeleceste solidamente sobre a rocha da fé apostólica, não sejamos atingidos por nenhuma angústia".
~ Do Missal Romano na Vigília de São Pedro e São Paulo


Sobre as Chaves do Reino dos Céus:

"Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos."
~João 20:21-23

"Quando Cristo ressuscita, todos os apóstolos recebem as chaves do Reino do Céus em Pedro; Não! Em vez disso, eles recebem as chaves do Reino dos Céus com Pedro, quando Ele diz: Receba o Espírito Santo, todo aquele a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados"
~ São Gaudentius de Brescia, Epístola Sermão XVI P.L. XX. 959 [Século IV]

"E eu darei a ti as chaves, este poder sem dúvida é dado a todos os Apóstolos, a quem, por Ele, depois da ressurreição, é dito receber o Espírito Santo, aos bispos e também aos sacerdotes e a toda a Igreja, a mesma função é cometida."
~Venerável Bede, Mateus XVI. Exposição, lib. III. P.L. XCII. 79 [Século VII]

"Os que obtiveram a graça do episcopado como Pedro tinham a autoridade para perdoar e reter, pois, muito embora, "Eu te darei", tenha sido dito apenas para Pedro, o dom foi concedido a todos os Apóstolos. Quando? Quando Ele disse: Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos; por isso o "Eu te darei" indica um tempo posterior, o tempo, isto é, depois da Ressurreição."
~Theophylact de Ohrid, Enarratio sobre Mateus cap. XIV 19. P.G. CXXIII. 320 [Século XI]

Esta fé é aquela que é a fundação da Igreja; por esta fé as portas do inferno não prevalecerão. Esta é a fé que tem as chaves do reino dos céus. Tudo o que esta fé tiver desligado ou ligado na terra será desligado ou ligado no céu. Essa fé é o dom do Pai por revelação; até mesmo o conhecimento de que não devemos imaginar um falso Cristo, uma criatura feita do nada, mas devemos confessá-lo Filho de Deus, verdadeiramente possuidor da natureza divina".
~São Hilário, Sobre a Trindade, Livro VII [Século IV]

"Pois (João) o Filho do trovão, o amado de Cristo, coluna das Igrejas em todo o mundo, que segura as chaves do céu, que bebeu o cálice de Cristo e foi batizado com o Seu batismo, que se debruçou no seio de seu Mestre, com muita confiança, esse homem vem até nós agora ".
~São João Crisóstomo, Prefácio à Homilia 1.1 sobre o Evangelho de João [Século IV]

"... Pedro, o primeiro dos apóstolos, recebe as chaves do reino dos céus para ligar e desligar os pecados; e para a mesma congregação de santos, em referência ao perfeito repouso no seio dessa vida misteriosa por vir, o evangelista João reclinou-se sobre o peito de Cristo. Pois não é apenas o primeiro [Pedro], mas a Igreja inteira, que liga e desliga os pecados; nem tampouco somente o último [João] que bebeu sozinho na fonte do peito do Senhor, para pronunciar novamente na pregação, do Verbo no princípio, Deus com Deus, e aquelas outras sublimes verdades sobre a divindade de Cristo e a Trindade e Unidade de toda a divindade".
~Santo Agostinho, Sobre o Evangelho de João [Século IV]

"Essas chaves, não um só homem, mas a unidade da Igreja a recebeu. Por isso, a excelência de Pedro estabeleceu como emblema da Igreja em sua universalidade e unidade quando lhe foi dito que eu te dou o que foi dado para todos. Para que saibam que a Igreja recebeu as chaves do Reino dos Céus, ouça em outro lugar o que o Senhor disse a todos os Apóstolos "Receba o Espírito Santo" e, então, de imediato "aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos" (João 20:23) Isto refere-se às chaves das quais foi dito "Tudo o que você desligar na terra, será desligado no céu" (São Mateus 28:18). Mas isto foi dito a Pedro para que você saiba que isso representa a Igreja inteira. Ouça o que lhe foi dito, a todos, se ele não te ouvir, fale da Igreja "Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado nos céus."
~Santo Agostinho, Sermões CCXCV, II [Século IV]

"Assim como no caso dos apóstolos, que formavam o número exato de doze, em outras palavras, eram divisíveis em quatro partes de três cada, quando a questão foi colocada a todos eles, Pedro foi o único que respondeu: Tu és Cristo, o Filho do Deus vivo; e a quem foi dito, eu lhe darei as chaves do reino dos céus, como se ele apenas tivesse recebido o poder de ligar e desligar: vendo, então, que aquele falou em nome de todos, e recebeu as chaves junto com todos, como se personificasse a unidade em si; portanto, todos representam todos, porque há unidade em todos ".
~Santo Agostinho, Tractate CXVIII sobre o Evangelho de João, IV [Século IV]

"O que, agora, (tem isso a ver) com a Igreja, e sua (Igreja), de fato, psíquica? Pois, de acordo com a pessoa de Pedro, é para os homens espirituais que este poder correspondentemente se refere, ou a um apóstolo ou então a um profeta."
~ Tertuliano, Sobre a Modéstia. Livro VII [Século II]

"Como um rei que envia governadores, dá o poder para lançar na prisão e livrar-se dela, então, ao enviar estes, Cristo os investe com o mesmo poder".
~São João Crisóstomo Homilia LXXXVI Sobre o Evangelho de João [Século IV]

Sobre a Suprema Jurisdição Ordinária Imediata  referida no Cânone 331 da Igreja Católica: 

"Victor, que presidiu a igreja em Roma, tentou imediatamente cortar da unidade comum as paróquias de toda a Ásia, com as igrejas que concordavam com elas, como sendo heterodoxas; e escreveu cartas e declarou todos os irmãos ali excomungados. Mas isso não agradou a todos os bispos, e eles pediram-lhe que considerassem as coisas da paz e o amor e unidade comum. As palavras deles ainda existem, repreendendo vivamente Victor. Entre elas estava as palavras de Irenenus, que, enviando cartas em nome dos irmãos na Gália, sobre os quais ele presidia, defendia que o mistério da ressurreição do Senhor só deveria ser observado no dia do Senhor. Ele adverte apropriadamente Victor que ele não deveria cortar igrejas inteiras de Deus que observam a tradição de um antigo costume ".
~Eusebius, A História da Igreja, Livro V [Século II]

"Pois nenhum de nós se estabeleceu como bispo de bispos, nem por um terror tirânico obrigamos nossos colegas à necessidade de obediência; pois todo bispo, de acordo com a permissão de sua liberdade e poder, tem o direito próprio de julgamento e não pode ser julgado mais por outro do que ele próprio pode julgar outro. Mas aguardemos todos pelo julgamento de nosso Senhor Jesus Cristo, que é o único que tem o poder de nos dar preferência no governo de Sua Igreja, e de nos julgar na nossa conduta nela".
~São Cipriano de Cartago, sobre o Batismo do Hereges, disputas com o Papa Estêvão [Século III]

"Nosso Senhor, cujos preceitos e admoestações devemos observar, descrevendo a honra de um bispo e a ordem de Sua Igreja, fala no Evangelho e diz a Pedro: Eu te digo, tu és Pedro e sobre esta pedra eu construirei minha Igreja; e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que você ligar na terra será ligado no céu; e tudo o que você desligar na terra será solto no céu. Daí, através das mudanças dos tempos e sucessões, o ordenamento dos bispos e o plano da Igreja fluem adiante; de modo que a Igreja é fundada sobre os bispos, e todo ato da Igreja é controlado por estes governadores. Uma vez que, assim, se fundamenta a lei divina, admiro que alguns, com temerária ousadia, tenham escolhido escrever-me como se escrevessem em nome da Igreja; quando a Igreja foi estabelecida no bispo e no clero e em todos os que estão firmes na fé ".
~São Cipriano de Cartago, Carta XXVI [Século III]

"Sua graça... Você se dirige a mim dizendo: "Como você comandou". Esta palavra "comando", peço-lhe que retire dos meus ouvidos, pois sei quem eu sou e quem você é. Pois em posição vocês são meus irmãos, em caráter, meus pais..."... no prefácio da epístola que você dirigiu a mim, que adverti, você achou conveniente usar um sobrenome orgulhoso, me chamando de Papa Universal. Mas peço-lhe, amável Santidade, para não mais fazer isso, uma vez que o que é dado a outro além do que a razão exige, é subtraído de você mesmo... Pois se a sua Santidade me chama de Papa Universal, você nega que você mesmo é o que você me chama universalmente."
~Papa São Gregório o Grande, Livro VIII, Carta XXX [Século VI]

"Eu digo sem hesitação, quem se chama o bispo universal, ou deseja este título, é, por seu orgulho, o precursor do anticristo, porque ele tenta, assim, se elevar acima dos outros. O erro em que ele cai nasce do orgulho igual aquele do anticristo; pois, assim como aquele Maligno desejava ser considerado como exaltado acima de outros homens, como um deus, assim também quem fosse chamado único bispo exalta a si mesmo sobre outros ... Você sabe disso, meu irmão; o venerável Concílio de Calcedônia não conferiu o título honorário de "universal" aos bispos desta Sede Apostólica [Roma], da qual eu sou, pela vontade de Deus, o servo? E, no entanto, nenhum de nós permitiu que este título fosse utilizado; nenhum assumiu este título atrevido, ao assumir uma distinção especial na dignidade do episcopado, devemos recusá-lo a todos os irmãos ".
~Papa São Gregório o Grande, Livro VII, Carta XXXIII [Século VI]


"Os bispos de cada país devem saber quem é o primaz entre eles e estimá-lo como sua cabeça, e não fazer qualquer coisa boa sem o seu consentimento; mas cada um deve gerir apenas os assuntos que pertencem à sua própria paróquia, e os lugares sujeitos a ela. Mas não o permita [isto é, o primado] fazer nada sem o consentimento de todos; pois é assim que haverá unanimidade, e Deus será glorificado por Cristo, no Espírito Santo".
~Cânone Apostólico 34

***SÍNODOS LOCAIS***

Um dos poucos Concílios com cânones pertencentes à autoridade do bispo de Roma faz dele um tribunal autorizado para apelos episcopais jurisdicionais, mostrando assim uma clara limitação e a ausência de uma autoridade jurisdicional imediata ordinária universal:

"O bispo Hosius disse: Isto também é necessário acrescentar - que nenhum bispo passa de sua própria província para outra província onde existam bispos, a menos que ele seja chamado por seus irmãos, para que não fechemos os portões da caridade.

E este caso também deve ser previsto, que se, em qualquer província, um bispo tiver alguma questão contra seu irmão e bispo, nenhum dos dois convoquem como árbitros bispos de outra província.

Mas se for dada uma sentença perante um bispo em qualquer questão e ele acredite que que o seu caso não seja instável, mas firme, para que a questão possa ser reaberta, deixe-nos, se parecer bom para sua caridade, honrar a memória de Pedro o Apóstolo, e que aqueles que proferiram juízo escrevam a Julius, o bispo de Roma, para que, se necessário, o caso seja julgado novamente pelos bispos das províncias vizinhas e permita que ele nomeie árbitros; mas se não pode ser demonstrado que o caso dele é de tal sorte que precisa de um novo julgamento, deixe que o julgamento já emitido não seja anulado, mas que fique como antes ".
~Cânone 3 do Sínodo de Sardica [344 d.C]

"O bispo Gaudentius disse: Se parece bom para você, é necessário adicionar a esta decisão plena de caridade sincera que você pronunciou que se algum bispo é destituído de seu cargo por um tribunal composto pelos bispos vizinhos e exige uma nova oportunidade de defesa, então não se deve designar a outro bispo para seu cargo antes que o bispo de Roma tenha sido informado do caso e emita sua decisão a respeito.
~Cânone 4 do Sínodo de Sardica [344 d.C]

"Bispo Hosius disse: Caso se faz uma acusação contra algum bispo e os bispos vizinhos decidem reunirem-se e o destituem de seu cargo, o acusado pode apresentar uma apelação ante o bem-aventurado Bispo da Igreja Romana. Caso este deseja escutá-lo e considera que é correto re-iniciar a investigação do caso em questão, então que tenha a bem escrever aos bispos vizinhos dessa província para que analisem com detalhe e minuciosamente todas as circunstâncias e, logo de assegurarem-se na verdade, emitam seu veredicto. Se alguém exige que seu caso seja analisado novamente e eleva sua petição, o Bispo de Roma tem o poder de enviar a seus presbíteros, se considera que é melhor e corresponde enviar a seus representantes para julgar o caso junto com os bispos e exercer a autoridade em representação de quem os enviou. Mas se considera que a investigação realizada e o veredicto emitido com respeito ao bispo em questão são suficientes, que faça o que seu bom sentido o dite como melhor. Os bispos responderam que aceitam o expressado.
~Cânone 5 do Sínodo de Sardica [344 d.C]


***CONCÍLIOS ECUMÊNICOS***

"É, por certo, apropriado que um bispo seja nomeado por todos os bispos na província; mas se isso for difícil, seja por necessidade urgente ou devido a distância, três pelo menos, devem reunir-se e os sufrágios dos bispos ausentes devem ser entregues e comunicados por escrito, então a ordenação deve ocorrer. Mas em todas as províncias, a ratificação do que é feito deve ser deixada para o Metropolita".
~Cânone IV do Primeiro Concílio de Nicaea [325 d.C]

"Prevaleçam os antigos costumes do Egito, Líbia e Pentápolis, porque o Bispo de Alexandria tem jurisdição sobre todos eles, uma vez que o mesmo é habitual também para o bispo de Roma. Do mesmo modo, na Antioquia e nas outras províncias as Igrejas podem reter seus privilégios. O grande Sínodo declara que se deve entender universalmente que se alguém foi feito bispo sem o consentimento do Metropolita, não deve ser tornar bispo. Se, contudo, dois ou três bispos se opuserem, pelo pendor natural à contradição, ao voto comum dos restantes, se for razoável e de acordo com a lei eclesiástica, prevaleça, então, a escolha da maioria."
~Cânone VI do Primeiro Concílio de Nicaea [325 d.C]

O Segundo Concílio Ecumênico (1º Concílio de Constantinopla) foi presidido por Meletius de Antioquia que não estava em comunhão com Roma:

"Por causa do cisma em Antioquia, seu primeiro presidente, Melecio, não estava em comunhão com Roma e Alexandria. Seu segundo presidente, Gregório de Nazianzus, não era, na visão do ocidente, o legítimo bispo de Constantinopla".
~ História e Teologia dos Primeiros Sete Concílios Ecumênicos

"Os bispos não devem ir além de suas dioceses para igrejas que estão fora de seus limites, nem trazer confusão às igrejas; que o bispo de Alexandria, de acordo com os cânones, administre sozinho os assuntos do Egito; que os bispos do Oriente gerencie sozinho o Oriente, os privilégios da Igreja em Antioquia, que são mencionados nos cânones de Nicaea, sejam preservados; que os bispos da diocese asiática só administrem os assuntos asiáticos; e os bispos pônticos, apenas assuntos pônticos; e os bispos Trácios apenas os assuntos da Trácia. E não deixe os bispos ir além de suas dioceses para a ordenação ou quaisquer outros ministérios eclesiásticos, a menos que sejam convidados. E o canon acima mencionado sobre as dioceses sendo observado, é evidente que o sínodo de cada província administrará os assuntos daquela província particular tal como foi decretado em Nicaea. Mas as Igrejas de Deus nas nações pagãs devem ser governadas de acordo com o costume que prevaleceu dos tempos dos Padres."
~Cânone II do Primeiro Concílio de Constantinopla [381 d.C]

"O bispo de Constantinopla, no entanto, terá a prerrogativa de honra após o bispo de Roma, porque Constantinopla é Nova Roma".
~Cânone III do Primeiro Concílio de Constantinopla [381 d.C]

Apesar do desgosto do Papa Leão o Grande nesta carta sobre o cânone 28 do Concílio de Calcedônia, o Ocidente o aceitou, uma vez que a autoridade do Concílio ecumênico supera a do bispo que preside em Roma:

"Em resposta, o Papa Leão protestou de forma mais enérgica contra o cânone xxviii e declarou-o nulo como sendo contra as prerrogativas dos Bispos de Alexandria e Antioquia e contra os decretos do Concílio de Nicéia. Protestos semelhantes se encontram nas cartas escritas em 22 de maio, 452, ao Imperador Marciano, à Imperatriz Pulcheria e a Anatolius de Constantinopla. De outro modo, o Papa ratificou os Atos do Concílio de Calcedônia, mas apenas na medida em que se referiam a questões de fé ".
~ Novo Advento

"O santo concílio afirmou: Depois de reconsiderar, de acordo com a nossa promessa que fizemos a sua alteza, as cartas doutrinais de Sergius, por um tempo patriarca desta cidade real protegida por Deus a Cyrus, que era então bispo de Phasis e para Honorius, por algum tempo, o Papa da Roma Antiga, bem como a carta do último ao mesmo Sergio, nós achamos que esses documentos são bastante estranhos aos dogmas apostólicos, às declarações dos santos concílios e a todos os Pais aceitos, e que eles seguem os falsos ensinamentos dos hereges; portanto os rejeitamos inteiramente e os execramos como prejudiciais para a alma "
"Para Theodore de Pharan, o herege, anátema! Para Sergius, o herege, anátema! Para Cyrus, o herege, anátema! Para Honorius, o herege, anátema! Para Pyrrhus, o herege, anátema!"

~ Declaração que o Papa Honório e o Patriarca Sergio de Constantinopla foram hereges e anatematizados.

DOCUMENTO INTER-RELIGIOSO ASSINADO POR CARDEAIS CATÓLICOS ROMANOS EM CHIETI EM UM DIÁLOGO COM BISPOS ORTODOXOS:

"Ao longo dos séculos, muitas apelações em matéria de disciplina foram dirigidas ao Bispo de Roma, também do Oriente, tais como, sobre a deposição de um bispo. Uma tentativa foi feita pelo Sínodo de Sardica, que estabeleceu regras para tal procedimento. Sardica teve sua recepção no Concílio de Trullo. Os cânones de Sardica determinaram que um bispo condenado pode apelar ao Bispo de Roma, e que este último, se lhe parecer apropriado, pode pedir um novo julgamento que será conduzido pelos bispos da província vizinha do próprio bispo. Recursos em matéria disciplinar também foram dirigidos à Sé de Constantinopla, e as outras Sés. Tais apelos dirigidos às Sés mais importantes, sempre foram tratados de forma sinodal. Apelos do Oriente ao Bispo de Roma expressaram a comunhão da Igreja, mas o Bispo de Roma não exercia sua autoridade canônica sobre as Igrejas do Oriente."

~Parágrafo 19 "Sinodalidade e Primazia durante o primeiro milênio: rumo a um comum entendimento a serviço da unidade da Igreja", Chieti, 21 de Setembro 2016

11 comentários:

  1. SÃO JERÔNIMO E A SÉ ROMANA

    Ep. XV (ao Papa Dâmaso,367)

    [Esta carta apela para um pronunciamento oficial sobre a expressão treis hypostáseis, tornada familiar em virtude da influência dos padres capadócios]

    Desgarrado por contendas sem fim, o oriente rasga em tiras a túnica inconsútil do senhor...estimo pois ser meu dever consultar a cátedra de Pedro.
    Na presença de Vossa Eminência me sinto aterrorizado, mas Vossa Benevolência me atrai; espero do sacerdote preservar a vítima, do pastor defender a ovelha. Fora , pois, toda sombra de vaidade! Retire-se a majestade romana! Dirijo-me ao sucessor do pescador, ao discípulo da cruz.

    Como não marcho sob outro chefe senão Cristo, com ninguém me comunico senão com Vossa Santidade, isto é, com a cátedra de Pedro, pois ela é a rocha sobre a qual está edificada a igreja, a arca de Noé, na qual, se alguém não estiver, perecerá quando o dilúvio cobrir a todos...

    ResponderExcluir
  2. APELOS A SÉ ROMANA
    Concílio de sárdica (343)
    Texto dos cânones sobre a autoridade Romana, em Denzinger, Enchiridion,304 ss

    Cânon III. ÓSIO, BISPO DISSE: "É preciso acrescentarmos que um bispo de uma província não passe para outra onde haja bispo, exceto se for convidado pelos irmãos, para que não se pense que se fechou a porta da fraternidade [caridade]. Outrossim, deve ser providenciado o que segue: se numa província o bispo tiver um litígio contra seu irmão bispo, nenhum dos dois tomará por árbitro bispos de outra província. Mas, se algum bispo for julgado num processo e considerar -se com direito a um segundo julgamento, honremos então, se assim vos agrada , a memória do apóstolo Pedro, escrevendo-se a Júlio, bispo de Roma, quer , quer mediante os juízes do caso , quer mediante bispos residentes na província vizinha; o bispo de Roma indicará os árbitros. Comprovando-se, porém, que a causa não comporta revisão, atenha-se ao primeiro veredicto. É essa província de vosso agrado?

    O SÍNODO: Sim, é de nosso agrado.

    Cânon V. ÓSIO, BISPO, DISSE: "Pareceu-nos de bom alvitre que, se um bispo for acusado, julgado por bispos de sua região e degradado de suas funções, e se apelar e recorrer ao bem-aventurado bispo da igreja Romana para que seja ouvido, estimando justo um novo exame, o bispo de Roma escreverá aos bispos residencial na província vizinha para que, diligente e exatamente, pesquisem o caso e se pronunciem conforme lhes conste ser verdade. Mas, se alguém que apela para um novo julgamento quiser que o bispo de Roma envie algum sacerdote de sua familiaridade e companhia, estará no poder do bispo [de Roma], se ele assim o decidir, enviar seus representantes para, juntamente com bispos, julgar a causa; os enviados gozarão da autoridade de quem os envia. Mas, se julgar que os bispos são suficientes para solucionar o caso, proceda-se de acordo com seu sábio arbítrio".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro WnaderleWnaderley, no próprio post tem um trecho de um documento oficial do Vaticano que diz que as sés recorriam não só a Roma mas a outras também e que Roma não tinha autoridade sobre as outras:

      Excluir
  3. Interessantes os argumentos de textos patrísticos,porém existem várias omissões de textos citados pelos pais da Igreja acima, onde os mesmos confirmam a autoridade conferida ao Bispo de Roma,como primaz entre os demais!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A primazia que fora conferida ao bispo de Roma, é so aquela que hoje exerce o patriarca de Constantinopla. O primeiro entre os iguais. Se o papa voltar a ortodoxia, será novamente o primeiro entre os iguais que é porta voz da fé e nao sua cabeça.
      A cabeça, a petra(pedra) da Igreja nao é Pedro é Jesus Cristo o homemDeus.

      Excluir
  4. Na primeira carta de Pedro Cap.2 e versos do 1 ao 10, o ensino de Pedro é muito diferente da atual doutrina papista. O apóstolo ensina que Cristo é a pedra angular da fé, e chama o povo de "pedras vivas". Ele ensina q quem professa a Fé em Cristo é rocha sobre a qual "ninguém ficará confundido." Pedro nao ensina q os fiéis devem subjugar-se a sua "autoridade suprema" mas a professar a fé verdadeira que é edificada na petra(pedra) angular que é o Deushomem Jesus Cristo. É Jesus o chefe universal da Igreja e a pedra angular q tanto s.Pedro e s.Paulo ensinam na escrita sagrada q nenhuma bula ou decreto papal pode mudar.

    ResponderExcluir
  5. Como diz s.Paulo nao devemos aceitar nenhuma inovação da fé "que de uma vez por todas foi entregue aos santos", nao devemos aceitar nenhuma inovação, nao importa quem a pronunciará nenhum homem,nem anjo, nem santo,nem encíclica papal pode mudar a fe pregada pelos apóstolos e preservada na ortodoxia da Igreja. ..

    ResponderExcluir
  6. Em 1Pt 1,1-10 o santo apostólo ensina que a pedra angular é Cristo.
    O papismo em sua cede de poder temporal e Universal, foi esquecendo da verdade que esta na escritura e acabou rejeitando a pedra angular(Jesucristo) e se colocou em seu lugar.
    Que erro, que heresia, que queda!
    No lugar do Deushomem se colocou um homem, um chefe de estado, um primaz... A Fe da Igreja em sua ortodoxia, junto a escritura, aos apostolos e aos pais da Igreja nega a heresia papista e proclama Jesus Cristo seu chefe e cabeca universal, que nao é substituido por nenhum bispo da Igreja.

    ResponderExcluir
  7. O DEMONIO ODEIA O PASTOR DE CRISTO O SUMO PONTIFISE
    UM SO REBANHO UM SO PASTOR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o unico pastor e chefe desse rebanho é o proprio Jesus Cristo. Ele o Deushomem que nao precisa de sustituto nenhum. É Jesus o chefe e cabeca supremo da Igreja do qual todos os bispos sao servos. O que o demonio fez,dentro do cristianismo occidental, foi colocar o bispo de roma no lugar de Cristo.
      Nenhum bispo pode se colocar como cabeca da Igreja na terra, pois o resucitado Deushomem Jesus Cristo ja é esta cabeca...

      Excluir